SBCD

Caminho de Damasco assume mais um contrato de gestão com Estado de São Paulo

13 fev 2023

Com atuação em mais de 50 serviços e unidades de saúde na capital paulistana, a Sociedade Brasileira Caminho de Damasco (SBCD) obteve mais uma conquista neste mês de fevereiro e passou a ser a responsável pela gestão do Centro de Referência do Idoso da Zona Norte (CRI Norte), que completa 18 anos nesse mês de fevereiro.

O CRI Norte é um Ambulatório de Especialidades Médicas (AME) do Governo do Estado de São Paulo voltado exclusivamente à saúde da pessoa idosa. Nele, as equipes de saúde realizam ações de prevenção, diagnóstico, terapia e reabilitação com foco em Geriatria.

Além disso, a unidade possui também um Centro de Convivência destinado à realização de atividades físicas; culturais; educativas e manuais, com o propósito desde o lazer até a geração de renda. São mais de 100 oficinas conduzidas por voluntários idosos.

Para o presidente da SBCD, Luís Antonio Picerni Herce, assumir esse novo contrato representa o “reconhecimento da Caminho de Damasco com o cuidado à saúde da população da zona norte paulistana”. Herce destaca, ainda, o “primoroso trabalho de nossos colaboradores, o que nos credenciou e permitiu vencermos o chamamento público”.

O gerente médico da SBCD, Dr. Mario Sapede, também exalta o reconhecimento do trabalho realizado pela organização em todas as unidades de saúde administradas pela SBCD. “A expansão da SBCD vem acontecendo de forma prudente e sustentável. Primamos por respeitar as particularidades de cada população na execução dos trabalhos evitando qualquer tipo de imposição de um modelo único. O modelo tem que ser vencedor e, para isso, acreditamos que só se entrega excelência munido de um criterioso olhar de respeito com a história de cada lugar”, comemora.

O CRI Norte é um ambulatório instalado dentro do Conjunto Hospitalar do Mandaqui. Foto Bruno Arib.

O Ambulatório de Especialidades Médicas

Em funcionamento desde 2005, o Centro de Referência do Idoso da Zona Norte (CRI Norte), tem como foco a Geriatria, que é o cuidado com a saúde do idoso, com a utilização de equipes médicas, multiprofissionais e odontológicas. O CRI Norte atende pacientes referenciados de unidades de saúde de toda a zona norte paulistana por meio do Sistema Informatizado de Regulação do Estado de São Paulo (SIRESP).

São mais de 15 especialidades médicas para a realização do atendimento na unidade. Além disso, 12 tipos de exames diferenciados são feitos pelo Serviço Auxiliar de Diagnóstico e Terapia (SADT). No edifício de especialidades médicas, além dos consultórios de atendimentos médicos, realização de exames e salas de internação, existe uma sala de fisioterapia, com equipamentos de ginástica, uma cozinha experimental, com equipamentos reais para a produção de alimentos, e um consultório odontológico.

Além disso, no CRI Norte existe um laboratório de Atividades de Vida Diária, que é uma reprodução de ambientes domésticos com funções e equipamentos que proporcionem ao idoso realizar as rotinas diárias de uma forma mais segura, com propósito de evitar acidentes domésticos. A casa adaptada tem, entre outros objetivos, o cuidado feito pela área de Terapia Ocupacional (T.O.). “Aqui na T.O., fazemos toda essa parte de reabilitação física de membro superior e, também, a reabilitação cognitiva, que é a parte da memória, da atenção”, diz Renata Fücher, terapeuta ocupacional do CRI Norte.

O Centro de Convivência

Além das especialidades médicas, o Centro de Referência do Idoso da Zona Norte (CRI Norte), possui também um espaço destinado à realização de atividades que promovem o aprendizado, o convívio e o bem-estar dos idosos. No Centro de Convivência são realizadas mais de 100 oficinas com atividades físicas; educativas; culturais; manuais e de geração de renda e atividades temáticas. As atividades abrangem os pilares do Envelhecimento Ativo proposto pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e são ministradas por professores e voluntários idosos.

Há 15 anos participando das ações do CRI Norte, Maria Helena é voluntária nas aulas de Macramê, um tipo de bordado. A voluntária conta que começou como aluna e hoje se emociona em poder ensinar a atividade para mais pessoas. “É maravilhoso isso aqui. Até no sentido de pessoas virem com depressão, acharem que não vão conseguir nada, e quando conseguem, a emoção que elas transmitem é muito gratificante”, diz Maria Helena.

Entre esses novos alunos de Maria Helena está o aposentado Wilson Roberto, que descobriu os cursos do CRI Norte por meio de sua esposa, que já frequentava o espaço. “Estou aqui pela primeira vez. A minha esposa já havia vindo e eu me interessei. É um trabalho artesanal que distrai muito a mente. E você aprende também. É um trabalho artesanal que pode até gerar um ganho extra”, revela o aposentado, que já planeja se inscrever no curso de fotografia.

As inscrições, aliás, para as atividades do Centro de Convivência do CRI Norte acontecem duas vezes ao ano, em janeiro e em julho. O serviço é disponibilizado para idosos de qualquer região de São Paulo e, diferentemente do ambulatório médico, para utilizar o Centro de Convivência, não é preciso ser referenciado.

Pular para o conteúdo